Fabio Nin

Fábio Nin

 

Natural de Niterói (RJ); violonista (6 e 7 cordas), arranjador e guitarrista flamenco; também toca viola caipira. É mestre em musicologia histórica pela UFRJ, bacharel em violão clássico pela UNI-RIO e especialista pelo Conservatório Brasileiro de Música - Centro Universitário (UniCBM). Foi professor de História da Música Popular Brasileira, técnicas de arranjo e violão na UniCBM. Já ministrou palestras e/ou workshops em instituições como a Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Federal Fluminense (UFF-RJ), Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes-MG), Festival de Inverno de Domingos Martins (ES), Fundação de Apoio à Escola Técnica (FAETEC-RJ), além da Universidade Livre de Berlim (LAI - Lateinamerika Institute - Freie Universität - Alemanha).

Estudou violão com diversos mestres, tendo sido aluno de Raphael Rabello, Fred Schneiter, Marco Pereira, Henrique Pinto, Nicolas de Sousa Barros e Turíbio Santos. Participou de workshops internacionais com Pepe Romero, Josep Henríquez, Robert Brightman e Maurício Carrilho. Realizou também estudos de harmonia funcional com Sergio Benevenuto, harmonia superior com Antonio Guerreiro, contraponto com Armando Lôbo e arranjo com Flávio Paiva.

Integrante da Camerata de Violões, octeto que aos 20 anos de existência, vem atuando como um importante grupo de câmara do Rio de Janeiro, desenvolvendo a pesquisa e produção de repertório para esse tipo de formação, centrado na música brasileira de vários períodos e procedências. A Camerata possui três CDs gravados: Camerata de Violões, Camerata de Violões II e Suites do Brasil.

Integra o Tira Poeira, grupo que lançou dois elogiados CDs: Tira Poeira e Feijoada Completa. O quinteto apresentou-se no Tim Festival, no Motomix e no RecBeat de Recife, além de apresentar-se em diversas cidades brasileiras; gravou e dividiu o palco com artistas como Maria Bethânia, Lenine e Teresa Cristina. Outras colaborações do grupo incluem Zélia Duncan, Beth Carvalho, Francis e Olívia Hime, Guinga, Nicolas Krassic, Yamandú Costa, DJ Sanny Pitbull, BNegão, Mariana Bernardes e Pedro Miranda, entre vários outros. O Tira Poeira foi indicado aos os prêmios TIM e Rival BR.

Tem trabalhado com Maria Bethânia desde 2004, em diversos projetos, como CDs, filmes, DVDs, em duo, com o Tira Poeira ou ainda em outras formações. Participou ainda do CD Meus Quintais, lançado em 2014 pela gravadora Biscoito Fino.

Recebeu o Prêmio Shell de Teatro, edição 2008, pela direção musical de É Samba Na Veia, É Candeia. Além deste espetáculo, tem atuado constantemente na cena teatral carioca na última década, como músico e/ou diretor musical, nos seguintes espetáculos: Na Rotina dos Bares, Aquarelas do Ary, Antonio Maria, A Noite É Uma Criança, Ai Que Saudades do Lago, A Violência da Cidade, entre outros. Participou do Palco Giratório, projeto promovido pelo SESC nacional, que levou espetáculos a 45 cidades brasileiras. Trabalhou por dez anos em diversos projetos com o ator e contador de histórias José Mauro Brant, destacando-se Cantos, Contos e Acalantos e Pequeno Poema Infinito, entre outros. Foi violonista do espetáculo Marília Pêra Canta Carmen Miranda uma homenagem da saudosa atriz à lendária cantora, em seu 50º aniversário de falecimento.

Integrou o Alcantilado, em parceria com o bandolinista Paulo Sá; o duo apresentou-se em diversas cidades brasileiras e participado de projetos relevantes como Naquela Mesa, 40 Anos Sem Jacob do Bandolim, do Centro Cultural dos Correios e Momento Rio-Bandolim, da UFRJ. Situando-se na fronteira popular/erudita, o Alcantilado busca, em arranjos e composições inéditos, explorar todas as possibilidades dessa formação. O duo já subiu ao palco em colaboração com artistas como Ugo Orlandi, Nicolas Krassic, Vitor Gonçalves, Gabriel Grossi, Beto Cazes e Silvério Pontes.

É violonista, arranjador e co-diretor musical da Companhia de Arte Flamenca, projeto que trabalha a música flamenca e seu baile sob uma ótica contemporânea e com fusão de elementos musicais brasileiros e espanhóis, assim como a investigação e utilização da percussão brasileira e instrumentos como a viola caipira e o pífano. Participou, como guitarrista flamenco, de programas de televisão na TV Globo como a minissérie Amazônia, diversas novelas e programas especiais como Não fuja da Raia, com Claudia Raia.

Tem atuado também como sideman; foi integrante da banda de Ney Matogrosso, gravando o CD Estava Escrito – homenagem a Ângela Maria - participando a seguir da turnê que percerreu as capitais brasileiras. Como membro da banda do bandolinista Armandinho Macedo, participou dos CDs Os 10 Melhores Guitarristas Do Brasil, promovido pela revista Guitar Player, Retocando o Choro e Retocando o Choro Ao Vivo, tendo se apresentado em mais de 30 cidades brasileiras, além da Exposição Mundial de Lisboa-1998.

Foi membro da Orquestra de Cordas Brasileiras, ganhadora de dois prêmios Sharp de melhor CD e grupo instrumental. A OCB, uma inusitada formação de 14 músicos, todos expoentes em seus instrumentos, apresentou-se nas mais importantes salas de concerto do país, tendo em diversas ocasiões atuado com a participação de grandes solistas, como Wagner Tiso, Paulo Moura, Carlos Malta e Rildo Hora.

DISCOGRAFIA 

Como artista: 

2015 Suites do Brasil (Camerata de Violões). Independente.

2008 Feijoada Completa (Tira Poeira). Biscoito Fino

2008 Aquarelas do Ary (Núcleo Informal de Teatro). Sala de Som records

2007 Antonio Maria, A Noite É Uma Criança (Núcleo Informal de Teatro). Sala de Som records

2003 Tira Poeira (Tira Poeira). Biscoito Fino

1996 Orquestra de Cordas Brasileiras e Wagner Tiso (OCB). Tom Brasil

Participações:

2015 Francisco e as meninas de asas — Duo Gisbranco. Independente

2014 Meus Quintais — Maria Bethânia.  Biscoito Fino

2009 Verbo Livre — Fernanda Guimarães. Sala de Som Records

2009 Bordadeira — Beth Marques. Rob Digital

2004 Brasileirinho DVD —  Maria Bethânia.

2004 Brasileirinho — Maria Bethânia. Biscoito Fino

2004 Canção Transparente —  Olívia Hime. Biscoito Fino

2003 Retocando o Choro ao Vivo — Armandinho. Biscoito Fino

1999 Os 10 melhores guitarristas do Brasil — Armandinho. Revista Guitar Player

1998 Retocando o Choro — Armandinho. Tom Brasil

1994 Estava Escrito — Ney Matogrosso. Polygram

 

e-mail: fabionin@gmail.com